Print Mail Pdf
7
Out
2016

Jubileu Mariano

07 Outubro 2016 - 09 Outubro 2016 (Termin in Kalender eintragen)

Praça de São Pedro

SEXTA-FEIRA, 7 DE OUTUBRO

 

18:00h                Missa solene na Basílica de Santa Maria Maior

 

19:00h                Recitação do Santo Rosário na Praça de São Pedro, seguido da Súplica à Rainha do Santo Rosário de Pompeia

 

Das 20.00h às 24.00h        Noite de Adoração Eucarística e Reconciliação

                                                         As Igrejas Jubilares ficam abertas para as confissões

                                                         - Santa Maria in Valicella (Chiesa Nuova)

                                                         - San Salvatore in Lauro

 

 

SÁBADO, 8 DE OUTUBRO

 

Das 7.00h às 12.00h          Peregrinação à Porta Santa

Na Igreja Jubilar de Santo Spirito in Sassia continuam a Adoração Eucarística e as confissões

 

14.00h                                  Entrada na Praça de São Pedro, animada com orações e cantos marianos

 

16.30h                                  Procissão das Delegações Marianas das comunidades nacionais e dos Santuários

 

17.30h                                   Vigília na Praça de São Pedro com a presença do Papa Francisco

 

 

DOMINGO, 9 DE OUTUBRO

 

10.30h                Santa Missa presidida pelo Santo Padre, na Praça de São Pedro

 

 

 

Sexta-feira, 7 de outubro

 

Os grupos de peregrinos ou os participantes a título individual poderão escolher participar nas seguintes atividades programadas para a noite de sexta-feira, 7 de outubro,  dia de Nossa Senhora do Rosário:

-         Eucaristia solene em honra de Nossa Senhora, na Basílica de Santa Maria Maior, às 18:00h. Os peregrinos poderão também atravessar a Porta Santa da Basílica. Não é necessário bilhete de entrada. É aconselhável chegar mais cedo, de modo a ter tempo para os controlos de segurança. Tenha-se em conta que a Basílica tem lugares limitados.

-         Recitação do Santo Rosário. Durante o Jubileu da Misericórdia, recita-se o Santo Rosário todos os dias na Praça de São Pedro. No caso de sexta-feira, 7 de outubro, tratando-se do Jubileu Mariano e do dia de Nossa Senhora do Rosário, esta oração terá lugar excecionalmente às 19:00h. Animará este momento a Pontifícia Delegação para o Santuário de Nossa Senhora do S. Rosário, de Pompeia, que se desloca a Roma, trazendo consigo esta imagem de Maria que é tão querida ao povo italiano. Depois do Rosário, terá lugar a habitual Súplica a Nossa Senhora de Pompeia. A entrada na Praça será livre e não será, por isso, necessário qualquer bilhete de entrada.

-         Das 20:00h às 24:00h, os peregrinos são convidados a ir a uma das três igrejas jubilares para o Ano Santo, indicadas pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, onde terão possibilidade de celebrar o sacramento da Reconciliação e de dedicar algum tempo à Adoração Eucarística. Em qualquer destas igrejas será garantida a presença de confessores em diversas línguas, dispostos a acolher os peregrinos. Cada grupo ou cada participante pode organizar de forma livre esta “noite de reconciliação”. As Igrejas Jubilares são:

 

Igreja de S. Maria in Vallicella (Piazza della Chiesa Nuova)

Igreja de S. Salvatore in Lauro (Piazza di San Salvatore in Lauro, 15)

 

Sábado, 8 de outubro

 

No sábado, 8 de outubro,  de manhã, os grupos de peregrinos ou os participantes a título individual ficam livres para se organizar e realizar a sua peregrinação à Porta Santa da Basílica de São Pedro ou das outras Basílicas Maiores. Na Igreja Jubilar de Santo Spirito in Sassia (Via dei penitenzieri 12), continuará a decorrer a celebração do sacramento da Reconciliação e a Adoração Eucarística.

De tarde, todos os participantes ficam convidados a encontrar-se na Praça de São Pedro, para tomar parte num intenso momento de oração. Os peregrinos, tendo consigo o bilhete próprio para o momento, poderão aceder aos ingressos da Praça a partir das 14:00h.

Na Praça terá lugar um momento animado com cânticos e orações marianas, durante o qual se fará uma procissão com delegações provenientes das comunidades nacionais presentes na Itália e dos Santuários marianos. A encerrar a procissão virá o ícone de Nossa Senhora, Salus Populi Romani. Seguir-se-á a Vigília de Oração, na presença do Santo Padre.

 

Domingo, 9 de outubro

 

Jubileu Mariano concluirá no domingo, 9 de outubro, com uma solene Eucaristia presidida pelo Santo Padre, na Praça de São Pedro, pelas 10:30h. Os peregrinos, com o bilhete próprio para o momento, poderão aceder aos ingressos da Praça a partir das 7:30h.

Pede-se aos sacerdotes que desejarem concelebrar que sigam as indicações que vêm no bilhete para a concelebração.

 

 

JUBILEU EXTRAORDINÁRIO DA MISERICÓRDIA

JUBILEU MARIANO

HOMILIA DO PAPA FRANCISCO

Praça São Pedro 
Domingo, 9 de outubro de 2016

[Multimídia]

 

 

O Evangelho deste domingo convida-nos a reconhecer, com maravilha e gratidão, os dons de Deus. Ao longo da estrada que O leva à morte e à ressurreição, Jesus encontra dez leprosos, que vêm ao seu encontro, param à distância e gritam o seu infortúnio àquele homem em quem a fé deles intuiu um possível salvador: «Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós!» (Lc 17, 13). Estão doentes, e procuram alguém que os cure. Em resposta, Jesus disse-lhes que fossem apresentar-se aos sacerdotes, que, segundo a Lei, estavam encarregados de constatar uma eventual cura. Desta forma, não Se limita a fazer uma promessa, mas põe à prova a sua fé. Pois, naquele momento, os dez ainda não estão curados; recuperam a saúde enquanto vão a caminho, depois de ter obedecido à palavra de Jesus. Então todos, cheios de alegria, se apresentam aos sacerdotes e seguem depois pela sua estrada, mas esquecendo o Doador, ou seja, o Pai que os curou por meio de Jesus, seu Filho feito homem.

Apenas uma exceção: um samaritano, um estrangeiro que vive marginalizado do povo eleito, quase um pagão. Este homem não se contenta com ter obtido a cura através da sua própria fé, mas faz com que uma tal cura atinja a sua plenitude voltando atrás para expressar a sua gratidão pelo dom recebido, reconhecendo em Jesus o verdadeiro Sacerdote que, depois de o ter erguido e salvado, pode fazê-lo caminhar acolhendo-o entre os seus discípulos.

Como é importante saber agradecer, saber louvar por tudo aquilo que o Senhor faz por nós! Assim podemos perguntar-nos: somos capazes de dizer obrigado? Quantas vezes dizemos obrigado em família, na comunidade, na Igreja? Quantas vezes dizemos obrigado a quem nos ajuda, a quem está ao nosso lado, a quem nos acompanha na vida? Muitas vezes consideramos tudo como se nos fosse devido! E isto acontece também com Deus. É fácil ir ter com o Senhor para Lhe pedir qualquer coisa, mas voltar para Lhe agradecer... Por isso Jesus sublinha fortemente a falta dos nove leprosos ingratos: «Não foram dez os que ficaram purificados? Onde estão os outros nove? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro?» (Lc 17, 17-18).

Nesta Jornada Jubilar, é-nos proposto um modelo – antes, o modelo – a contemplar: Maria, a nossa Mãe. Depois de ter recebido o anúncio do Anjo, Ela deixou brotar do seu coração um cântico de louvor e agradecimento a Deus: «A minha alma glorifica o Senhor....» Peçamos a Nossa Senhora que nos ajude a entender que tudo é dom de Deus e a saber agradecer: então – garanto-vos eu – a nossa alegria será completa. Só aquele que sabe agradecer, experimenta a plenitude da alegria.

Para saber agradecer, é preciso também a humildade. Na primeira Leitura, ouvimos o caso singular de Naaman, comandante do exército do rei da Síria (cf. 2 Re 5, 14-17). Está leproso; para se curar, aceita a sugestão duma pobre escrava e confia-se aos cuidados do profeta Eliseu, que para ele é um inimigo. Naaman, porém, está disposto a humilhar-se. E, dele, Eliseu não pretende nada; manda-o apenas mergulhar na água do rio Jordão. Esta exigência deixa Naaman perplexo, até mesmo contrariado: poderá porventura ser verdadeiramente um Deus, Aquele que pede coisas tão banais? E estava para voltar a casa, mas depois aceita mergulhar no Jordão e, imediatamente, fica curado.

O coração de Maria, mais do que qualquer outro, é um coração humilde e capaz de acolher os dons de Deus. E, para Se fazer homem, Deus escolheu-A precisamente a Ela, uma jovem simples de Nazaré, que não vivia nos palácios do poder e da riqueza, que não realizou feitos extraordinários. Interroguemo-nos – far-nos-á bem – se estamos dispostos a receber os dons de Deus ou preferimos antes fechar-nos nas seguranças materiais, nas seguranças intelectuais, nas seguranças dos nossos projetos.

É significativo que Naaman e o samaritano sejam dois estrangeiros. Quantos estrangeiros, incluindo pessoas doutras religiões, nos dão exemplo de valores que nós, às vezes, esquecemos ou negligenciamos! É verdade; quem vive a nosso lado, talvez desprezado e marginalizado porque estrangeiro, pode-nos ensinar como trilhar o caminho que o Senhor quer. Também a Mãe de Deus, juntamente com o esposo José, experimentou a separação da sua terra. Por muito tempo, também Ela foi estrangeira no Egito, vivendo longe de parentes e amigos. Mas a sua fé soube vencer as dificuldades. Conservemos intimamente esta fé simples da Santíssima Mãe de Deus; peçamos-Lhe a graça de saber voltar sempre a Jesus e dizer-Lhe o nosso obrigado pelos inúmeros benefícios da sua misericórdia.

 

 

Fotogaleria


Praça de São Pedro

Praça de São Pedro, Cidade do Vaticano, Cidade do Vaticano